Jump to content

American... péssima situação financeira !


Mello

Recommended Posts

Por Nick Brown

NOVA YORK, 19 Set (Reuters) - Detentores de 450 milhões de dólares em bônus da America Airlines planejam pedir a um juiz nos Estados Unidos por um mandato para ajudar a garantir que sejam pagos, alegando que os 143 aviões utilizados como garantia para o investimento podem perder muito valor.

O agente dos credores, o U.S. Bank, deve defender na quinta-feira em uma audiência no tribunal de falências de Manhattan que a companhia aérea controlada pela AMR negligenciou suas aeronaves e não realizou diversos reparos necessários.

Eles temem que isso e outros custos podem derrubar o valor das aeronaves a níveis baixos demais para cobrir os bônus.

O valor "continuará a erodir como resultado dos custos para segurar, armazenar, transportar e vender as aeronaves", disse o U.S. Bank em documentos jurídicos.

A maior parte das aeronaves é composta de modelos antigos, incluindo Boeing 757s e MD-82s e MD-83s fabricados pela McDonnell Douglas. O próximo pagamento dos bônus deve ser realizado em 15 de outubro.

A AMR pediu concordata em novembro de 2011, e está abrindo mão das partes mais antigas de sua frota. A companhia disse que precisa poupar mais de 1 bilhão de dólares em custos trabalhistas para retornar à lucratividade.

A companhia enviou avisos na terça-feira a mais de 11 mil funcionários, alertando a respeito de possíveis demissões como resultado de sua concordata.

O U.S. Bank busca incrementar as salvaguardas para os bônus sobre a legislação de concordata elaborada com o objetivo de proteger credores segurados de declínios no valor do colateral.

O U.S. Bank acredita que possa arrecadar apenas 501 milhões de dólares --incluindo 40 milhões de dólares de garantias anteriores em dinheiro, ao qual os credores buscam acesso-- se tomar e vender os aviões. Isso é pouco mais do que os 491 milhões de dólares do principal e dos juros que os credores alegam que são devidos.

A AMR se opõe ao pedido, dizendo em um documento na corte que tem feito manutenção apropriada a seus aviões.

Link to comment
Share on other sites

Acho que vamos ter uma American Airways ou uma US. Airlines . :coolface:

 

Na verdade não, pois a US Airways já declarou que em caso de fusão com a AA, ela iria manter a marca American Airlines, seria filiada à OneWorld e manteria seu centro de operações em Dallas (DFW)...

 

Ou seja, mantem as partes mais fortes da AA.

 

O que eles precisam urgentemente é modernizar a frota, pois com o petróleo caro faz uma MEGA diferença no custo da companhia se ela puder trocar os MD's, parte dos 757's e os poucos 762/763 domésticos por A319/20/21 e 739ER...

 

Vale dizer que a previsão é a AA receber o primeiro A319 em Julho de 2013 (s/n 5686).

Link to comment
Share on other sites

Acho que vamos ter uma American Airways ou uma US. Airlines . :coolface:

 

Irá permanecer a marca American em uma futura fusão com a Us Airways. Algo que é questão de tempo.

Link to comment
Share on other sites

Acho que o titulo não tem a dimensão da situação. Não que esteja em péssima situação financeira (e não está... tem mais de US$ 4 bi em caixa), mas a concordata não obriga a empresa a ficar com certas aeronaves, mas é óbvio que ela não fez operação estruturada com avião antigo, e sim os mais novos.

A opção dos credores é assumir os aviões.... muito legal... quem quer 757 e MD83 ????

 

No fim, não tem muito o que fazer.

Link to comment
Share on other sites

Na verdade não, pois a US Airways já declarou que em caso de fusão com a AA, ela iria manter a marca American Airlines, seria filiada à OneWorld e manteria seu centro de operações em Dallas (DFW)... Ou seja, mantem as partes mais fortes da AA. O que eles precisam urgentemente é modernizar a frota, pois com o petróleo caro faz uma MEGA diferença no custo da companhia se ela puder trocar os MD's, parte dos 757's e os poucos 762/763 domésticos por A319/20/21 e 739ER... Vale dizer que a previsão é a AA receber o primeiro A319 em Julho de 2013 (s/n 5686).

 

PQ que a GOL nao manteve a parte/nome mais forte (Varig)? embora uma fusao vs compra sao differentes, eu ainda acho que seria um tiro mais certo no alvo.

Link to comment
Share on other sites

 

PQ que a GOL nao manteve a parte/nome mais forte (Varig)? embora uma fusao vs compra sao differentes, eu ainda acho que seria um tiro mais certo no alvo.

 

Jonair, a resposta é complexa. Talvez o nome Varig era sinônimo de qualidade, mas muitos não lembram da empresa nos seus 80 anos e sim em um momento final onde ela deixou milhares de pessoas no chão. Será que valeria a pena? Por outro lado a Gol significa empresa jovem, descolada, tarifas baixas, sem frescuras, estava criando uma marca, será que valeria a pena arriscar tudo isso e por Varig? Eu acho que não, prefiro ter duas marcas como eles utilizaram. O problema é que isso pode gerar um monte de duplicidades que atrapalha a eficiência de um grupo. Mas a história está aí e mostrava que a Varig-Cruzeiro se davam muito bem administrativamente. No caso da Gol-Varig, faltou n coisas que já debatemos aqui infinitivamente.

 

vfman disse uma coisa certa: o orgulho da American fez com que ela cavasse a própria sepultura, só não foi enterrada pois admitiram a tempo o erro. Não foi como a Pan American que por mais de 20 anos de crise, só admitiu que estava quebrada faltando 10 meses para falir. Ambas se orgulhavam de serem as majors que não foram ao Chapter Eleven.

Link to comment
Share on other sites

American Airlines anuncia mais demissões e redução no número de voos.

 

Na terça-feira, a American Airlines disse que notificou mais de 11.000 empregados que eles poderiam perder os empregos como parte da reorganização decorrente de sua entrada no Chapter 11 da lei de falências dos EUA - a redução de custos trabalhistas foi um dos principais motivos para o Chapter 11 da AA -, e que estaria cortando entre 1% e 2% de seus voos no resto de setembro e em outubro - a American ainda nçao chegou a um acordo com seus pilotos. A companhia aérea espera demitir menos de 40% dos notificados ou cerca de 4.400 empregados entre novembro e dezembro, disse o porta-voz Bruce Hicks. A comunicação prévia (antecedência de 60 dias) da intenção de demitir em grupo é obrigação imposta pela legislação federal dos EUA.

Entretanto, um porta-voz do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes (Transport Workers Union) disse que cerca de 800 empregados concordaram em deixar a AA por vontade própria, o que deverá reduzir o número de demissões. Em carta enviada pela American ao sindicato, a companhia disse que enviou as notificações sobre demissões a cerca de 3.000 empregados em Dallas e Fort Worth, sede da American, onde uma oficina de manutenção deverá ser fechada, a cerca de 3.000 empregados em Tulsa (Oklahoma), 1.200 em Miami, 1.000 em Nova York, 900 em Chicago e um número menor a outras cidades norte-americanas.

 

businesstravel

Link to comment
Share on other sites

American Airlines anuncia mais demissões e redução no número de voos.

 

Na terça-feira, a American Airlines disse que notificou mais de 11.000 empregados que eles poderiam perder os empregos como parte da reorganização decorrente de sua entrada no Chapter 11 da lei de falências dos EUA - a redução de custos trabalhistas foi um dos principais motivos para o Chapter 11 da AA -, e que estaria cortando entre 1% e 2% de seus voos no resto de setembro e em outubro - a American ainda nçao chegou a um acordo com seus pilotos. A companhia aérea espera demitir menos de 40% dos notificados ou cerca de 4.400 empregados entre novembro e dezembro, disse o porta-voz Bruce Hicks. A comunicação prévia (antecedência de 60 dias) da intenção de demitir em grupo é obrigação imposta pela legislação federal dos EUA.

Entretanto, um porta-voz do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes (Transport Workers Union) disse que cerca de 800 empregados concordaram em deixar a AA por vontade própria, o que deverá reduzir o número de demissões. Em carta enviada pela American ao sindicato, a companhia disse que enviou as notificações sobre demissões a cerca de 3.000 empregados em Dallas e Fort Worth, sede da American, onde uma oficina de manutenção deverá ser fechada, a cerca de 3.000 empregados em Tulsa (Oklahoma), 1.200 em Miami, 1.000 em Nova York, 900 em Chicago e um número menor a outras cidades norte-americanas.

 

businesstravel

 

 

Já temos alguma informação sobre como será o Futuro da AA ,aqui no Brasil ?

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade