Jump to content

MPT interdita obra do Aeroporto de Viracopos por causa das condições de trabalho


newtonc

Recommended Posts

http://noticias.uol.com.br/empregos/ultimas-noticias/2012/09/26/mpt-interdita-obra-do-aeroporto-de-viracopos-por-causa-das-condicoes-de-trabalho.jhtm

 

Uma fiscalização realizada na terça-feira (25) pelo MPT (Ministério Público do Trabalho) constatou irregularidades e interditou parte da obra de ampliação do Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (a 94 km de São Paulo).

Nesta quinta-feira (27), o MPT vai propor um acordo para a concessionária responsável regularizar as condições oferecidas aos operários. Uma caixa d’água e a parte elétrica foram embargadas no local por oferecerem risco aos trabalhadores.

A ampliação do terminal começou no último dia 31 de agosto, depois que a Cetesb (Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental) emitiu a licença necessária. Após leilão realizado em fevereiro, a concessionária Aeroportos Brasil ficou responsável pela administração do aeroporto pelos próximos 30 anos.

De acordo com o MPT, durante a blitz, um procurador do órgão e um auditor do MTE (Ministério do Trabalho e Emprego) encontraram problemas na caixa d’água usada pelos trabalhadores. Eles precisavam subir no local, mas não havia estrutura necessária para isso, como uma escada e acessórios de segurança, oferecendo risco de queda, segundo o MPT.

 

Problemas encontrados

A fiação elétrica também estava totalmente exposta, colocando em risco a vida dos funcionários. Atualmente, cerca de 300 trabalhadores participam das obras de ampliação do aeroporto, mas a expectativa da concessionária é que esse número aumente para 5.600 até fevereiro de 2013. As áreas interditadas só poderão ser utilizadas novamente após as mudanças necessárias e com o aval dos órgãos.

Ainda segundo o MPT, para cada 40 funcionários há a necessidade de um banheiro, e nas obras de Viracopos havia apenas um para os 300 que já estão trabalhando, sem contar os instalados na área de vivência, onde também foram encontradas irregularidades.

No refeitório oferecido para os trabalhadores, não tem assentos suficientes para todos se sentarem. No banheiro, a pia está quebrada e não há itens básicos, como papel higiênico, segundo o órgão.

 

 

 

Outro lado

A assessoria do MPT informou ainda que, após a fiscalização, representantes das construtoras Triunfo e Constran, responsáveis pela criação da empresa Construtores Viracopos, foram avisados dos problemas e devem comparecer à reunião com o MPT nesta quinta para acertar o TAC (Termo de Ajustamento de Conduta).

A Concessionária Aeroportos Brasil Viracopos, responsável pela administração do terminal, não foi notificada e informou que só deve se manifestar após a conclusão do laudo que aponta as falhas encontradas nas obras, de responsabilidade da Constutores Viracopos.

Link to comment
Share on other sites

Cara porque nunca foram fiscalizar os banheiros de VCP??? Pelamor!!!!

 

Sera que tem 1 banheiro para cada 40 passageiros no terminal?? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

 

AHH ja ia esquecendo, sera que no "refeitorio" de VCP tem mesa e cadeira pra todo mundo???

 

É Brasil, temos que rir mesmo!!!!

 

 

Nós passageiros somos vitimas desse tratamento sub-humano da Infraero!!!!

Link to comment
Share on other sites

Não sei se os colegas leram a reportagem, mas a "interdição" - justa, por sinal - ocorreu devido as más condições de trabalho dos operários da obra. E não, às péssimas condições do Terminal.

Link to comment
Share on other sites

Ja esta tudo regularizado, e as obras não foram interditadas como diz na noticia, mesmo apos a visita do MPT eles continuaram trabalhando e ja estão resolvendo os problemas citados.

 

 

Construtoras firmam TAC para obras em Viracopos

 

 

Entre as irregularidades estavam precariedade na área de descanso, risco de queda de uma caixa d’água da obra e problemas em quadro de energia elétrica

 

 

As construtoras Triunfo e Constran, que formam o consórcio Construtor Viracopos, responsávelpela ampliação do aeroporto de Campinas, assinaram nesta quinta-feira (27) um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) onde se comprometem a sanar todos os problemas encontrados na obra durante fiscalização do Ministério Público do Trabalho (MPT) e Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) na última terça-feira (25).

Entre as irregularidades estavam precariedade na área de descanso, risco de queda de uma caixa d’água da obra e problemas em quadro de energia elétrica. No TAC assinado perante os promotores, o consórcio fica obrigado a construir em até 30 dias uma área de vivência adequada, conforme prevê legislação vigente para a construção civil.

Caso descumpra o TAC, o consórcio pagará multa de R$ 5 mil por item infringido. De acordo com o MPT, as construtoras afirmaram que já estão efetuando a regularização dos itens de segurança.

 

Fonte:

 

http://rac.com.br/noticias/campinas-e-rmc/147102/2012/09/27/construtoras-firmam-tac-para-obras-em-viracopos.html

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade