Jump to content

IAG assinala dificuldades no hub de Madrid


leelatim

Recommended Posts

 

 

IAG assinala dificuldades no hub de Madrid

Tráfego da Iberia cai 0,8% em Setembro

Presstur 04-10-2012 (11h31) O IAG assume que é uma holding ‘a duas velocidades’, com condições de mercado “firmes” em Londres, hub da British Airways, e fraqueza em Madrid, hub da Iberia, que teve em Setembro uma queda do tráfego de passageiros em 0,8%, enquanto a britânica cresceu 7,6% (+4,2% descontando o efeito da aquisição da BMI).

A informação divulgada pela holding, que não permite ver a evolução por sectores de rede por companhias, mostra no entanto que os “motores” do crescimento do IAG são o tráfego doméstico (no Reino Unido e em Espanha), com um aumento do tráfego (em RPK = passageiros x quilómetros percorridos) em 22,4%, África e Médio Oriente, com +13,3%, e América do Norte, com +6,9%.

América Latina e Caraíbas, com queda de 0,9%, e Ásia e Pacífico, com queda de 1,9%, são, pelo contrário, foram os sectores que em Setembro tiveram os piores desempenhos.

Ora, estando em queda o tráfego doméstico em Espanha, o aumento de que o IAG dá conta neste sector terá que vir do Reino Unido e, designadamente, reflectir a aquisição da BMI pela British Airways.

Quanto às rotas internacionais, o que se conhece é que a Iberia é dominante nas rotas da América Latina e Caraíbas, que estão em queda, enquanto a British Airways domina na América do Norte, principalmente, mas também África e Médio Oriente e Ásia e Pacífico.

A informação do IAG, no entanto, só assinala o impacto “das fracas condições económicas” em Espanha no tráfego de curta distância, dizendo que é um sector “especialmente afectado”.

Os dados do IAG indicam que apesar dessa diferença de condições de mercado nos seus dois hubs, ambas as companhias tiveram subida da taxa de ocupação dos voos, da ordem de 0,4 pontos na Iberia, para 83%, por redução da capacidade em 1,3%, e de aproximadamente 1,5 pontos na British Airways, neste caso apesar de um aumento da capacidade em 5,7%.

Em média, a taxa de ocupação das companhias do IAG tiveram uma subida da taxa de ocupação em 1,2 pontos, para 84%, com aumentos de 2,8 pontos nas linhas da América latina e Caraíbas, para 86,3%, 2,1 pontos nas ligações com África e Médio Oriente, para 79,9%, 1,3 pontos no sector América do Norte, para 86,2%, e 0,5 pontos nas rotas da Ásia e Pacífico, para 86,6%.

Essas subidas, porém, decorreram de situações diferentes, pois enquanto na América do Norte e África e Médio Oriente foram por crescimentos do tráfego acima de aumentos de capacidade (6,9% face a 5,3% e 13,3% face a 10,4%, sem descontar o efeito da aquisição da BMI, respectivamente), enquanto nas ligações da América Latina e Ásia e Pacífico foram por reduções da oferta que acomodaram quedas da procura (-0,9% face a -4,1% e -1,9% face a -2,4%, respectivamente).

Relativamente aos sectores de voos de médio curso, domésticos e internacionais, os dados mostram queda da ocupação, em 0,1 pontos em ambos os casos, para 76,1% nos domésticos e para 81,8% nos internacionais intra-europeus, porque os crescimentos do tráfego não preencheram completamente os aumentos de capacidade (+22,4% face a +22,6%, incluindo o efeito aquisição da BMI, e +3,2% face a +3,3%, respectivamente).

Em número de passageiros, a informação do IAG indica que as suas companhias transportaram 5,117 milhões em Setembro, mais 8,7% ou mais 409 mil que há um ano, com cerca de 183 mil pela aquisição da BMI pela British Airways, sem a qual o crescimento teria ficado em 3,7% ou cerca de 226 mil.

Para os nove meses de Janeiro a Setembro, os dados do IAG indicam que o grupo tem um crescimento do tráfego em 5,1% em RPK (+3,4% descontando o efeito da aquisição da BMI), com queda de 2,4% na Iberia e aumento de 8,4% na British (+5,9% descontando o efeito da aquisição da BMI).

Em número de passageiros, está com 41,491 milhões, mais 5,4% ou mais 2,13 milhões que há um ano, em grande parte pela aquisição da BMI, sem a qual o aumento é de 2% ou cerca de 1,3 milhões.

 

 

Fonte: http://www.presstur.com/site/news.asp?news=39120

Link to comment
Share on other sites

Espanha com problemas,Ibéria com problemas e agora para Madri a TAM vai adicionar vôos? Não seria mais prudente voar para Mxp já que lá a Tam reina sozinha e a Alitalia só investe em Roma e tem colhido ótimos resultados no Gig.

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade