Jump to content

Colt Aviation vai disputar setor de carga


C010T3

Recommended Posts

Colt Aviation vai disputar setor de carga

 

Por Alberto Komatsu | De São Paulo

Valor Econômico - 01/04/2013

 

A Colt Aviation, empresa de táxi-aéreo com 10 anos de operação, vai ampliar seu raio de ação neste ano. Em meados de agosto, o plano é transportar cargas aéreas com uma nova companhia, a Colt Cargo. Em novembro, poderá ser a vez de uma terceira empresa, de logística. Em 2014, há ainda interesse na aviação regional de passageiros.

 

Quem conta esses planos é o empresário e piloto de avião Alexandre Eckmann, acionista e presidente da Colt Aviation. Junto com seu sócio, Alex Meyerfreund, da família fundadora da Chocolates Garoto, pretendem investir R$ 75 milhões no transporte de cargas e na logística, com apoio de investidores e bancos.

 

"Tem gente que fala que estou entrando num negócio no qual todo mundo quebrou. Estamos entrando no mercado no fundo do poço. Pior que isso não fica", afirmou Eckmann, ciente das dificuldades do transporte aéreo de passageiros e de cargas.

 

No primeiro bimestre, o transporte aéreo de cargas, no Brasil, encolheu 61,3% na comparação anual. Os dados são da Infraero e não incluem os três terminais que foram concedidos para a iniciativa privada no fim de 2012 - Cumbica, Viracopos e Brasília.

 

O transporte aéreo de passageiros, também no primeiro bimestre, acumula queda de 2,29% em relação ao mesmo período do ano passado, segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

 

Mesmo diante desses números negativos, a dupla Eckmann e Meyerfreund planeja uma quarta companhia. Animados com o pacote de incentivo para a aviação regional, anunciado pela presidente Dilma Rousseff em dezembro, planejam operar no transporte de passageiros entre as regiões Nordeste e Norte.

 

A ideia é lançar a companhia no segundo semestre de 2014. Volume de investimentos e nome dessa terceira investida não foram revelados.

 

"Há hoje no Brasil uma oportunidade muito grande na aviação regional. A gente pensa nesse projeto para o ano que vem", disse Eckmann. O empresário carioca, ex-piloto da Varig e da Transbrasil, concedeu entrevista um dia depois de a Gol Linhas Aéreas ter divulgado o maior prejuízo em 12 anos de história, de R$ 1,5 bilhão, em 2012.

 

Um dos motivos que levam o empresário a ter um plano para aviação regional são os subsídios para quem operar nesse segmento. Além do investimento de R$ 7,3 bilhões em 270 aeroportos regionais, o governo federal planeja subsidiar os assentos ocupados de uma rota regional até o limite de 50% da capacidade do avião, ou o equivalente ao teto de 60 assentos.

 

O investimento na Colt Cargo será de R$ 15 milhões, com recursos próprios dos acionistas. Financiamentos bancários também poderão ser uma alternativa. O primeiro passo técnico para a sua criação foi dado em outubro, quando a Colt Cargo recebeu autorização para funcionamento jurídico.

 

Em abril a companhia receberá três modelos 737- 400, da americana Boeing, versão cargueiro. Cada aeronave tem capacidade para 21,8 toneladas de carga. O plano é operar três voos por dia de São Paulo (Cumbica) e do Rio (Galeão) para capitais das regiões Centro-Oeste, Nordeste e Norte.

 

Até o fim deste ano, a Colt receberá mais dois aviões, totalizando cinco aeronaves na frota. "Hoje você tem uma rentabilidade por hora voada média 30% maior em carga do que para passageiro. E o custo para operar passageiro é 30% maior do que carga", afirmou Eckmann.

 

O plano para o braço de logística inclui outros investidores. Segundo Eckmann, há duas negociações em andamento, mas detalhes não foram divulgados. O objetivo é levantar R$ 60 milhões para lançar essa empresa, com o apoio de parceiros e fundos de investimento. "É gente grande da área de logística", afirmou o sócio da Colt Aviation, com frota de 15 aeronaves e faturamento anual de R$ 50 milhões.

 

http://www.valor.com...as-para-confins

Link to comment
Share on other sites

Operando associada a alguma empresa do ramo de logística de cargas pode vir a ser um grande filão. As companhias cargueiras que entram "avulsas" acabam indo para a RPN e entram naquele ciclo conhecido.

 

Caminhando para a área dos sonhos, a Fedex já anunciou que deve chegar de vez a partir de 2014. Não seria nada mal que ela se associasse a algum grupo brasileiro para firmar uma malha por aqui. Eles não descartam esse projeto.

Link to comment
Share on other sites

Finalmente alguem fala em abrir uma regional focando na regiao Norte/Nordeste. E boa sorte no ramo de carga...que tambem tem area lra crescer no nosso país!

Link to comment
Share on other sites

Operando associada a alguma empresa do ramo de logística de cargas pode vir a ser um grande filão. As companhias cargueiras que entram "avulsas" acabam indo para a RPN e entram naquele ciclo conhecido.

 

Caminhando para a área dos sonhos, a Fedex já anunciou que deve chegar de vez a partir de 2014. Não seria nada mal que ela se associasse a algum grupo brasileiro para firmar uma malha por aqui. Eles não descartam esse projeto.

 

 

A FEDEX com sua base em VCP, poderia fechar um acordo com a AZUL CARGO e teria acesso rápido, para mais de 100 aeroporto por todo o Brasil

Link to comment
Share on other sites

N era a Colt q iria começar com voos regionais esse ano no Piauí?

Link to comment
Share on other sites

N era a Colt q iria começar com voos regionais esse ano no Piauí?

 

Sim, Edu. Foram os representantes dela que participaram da reunião com o governador. Foi postada aqui no fórum.

Link to comment
Share on other sites

Carga é um passageiro muito mais tranquilo e que não reclama.

 

Avião custa menos, operação mais barata, e se acharem o filão certo, com pé no chão, podem ir longe.

Só de fugir da mesmice do VCP-MAO, já merecem meu voto de sucesso.

Link to comment
Share on other sites

 

Caminhando para a área dos sonhos, a Fedex já anunciou que deve chegar de vez a partir de 2014. Não seria nada mal que ela se associasse a algum grupo brasileiro para firmar uma malha por aqui. Eles não descartam esse projeto.

 

Não lembro se foi AFA ou notícia que vi que a FEDEX teria adquirido a Rapidão Cometa justamente para se firmar no Brasil.

Link to comment
Share on other sites

Não lembro se foi AFA ou notícia que vi que a FEDEX teria adquirido a Rapidão Cometa justamente para se firmar no Brasil.

 

Adquiriu mesmo. Agora eles estão trabalhando na integração. Planejam iniciar a operação com a marca Fedex por aqui a partir do ano que vem, a princípio somente com o rodoviário herdado do Rapidão, mas não descartam o modal aéreo.

Link to comment
Share on other sites

 

Adquiriu mesmo. Agora eles estão trabalhando na integração. Planejam iniciar a operação com a marca Fedex por aqui a partir do ano que vem, a princípio somente com o rodoviário herdado do Rapidão, mas não descartam o modal aéreo.

 

E talvez devam "terceirizar" as operações aéreas. Garantem transporte rápido, e não vão se preocupar em lotar aeronaves e gastar dinheiro com combustível.

 

Link to comment
Share on other sites

TERÇA-FEIRA, 2 DE ABRIL DE 2013

Das maiores operadoras de táxi-aéreo amplia atividade e inclui RN na rota

A Colt Aviation, empresa de táxi-aéreo com 10 anos de operação, vai ampliar seu raio de ação neste ano. A intenção é operar a malha aeroviária do Nordeste. A proposta da empresa é estar presente em 20 aeroportos espalhados entre os nove estados nordestinos.

A proposta de operação da malha aérea intrarregional da Colt Aviation foi apresentada na última terça-feira (26/3), em reunião na Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), com presença de nove secretários e representantes estaduais de turismo.

“Em contrapartida, os Estados ficaram responsáveis por reduzir e unificar a alíquota do QAV (querosene da aviação), além de correr com a manutenção dos aeródromos das principais cidades de seus estados, para receber os voos propostos pela empresa”.

O secretário de Estado do Turismo do RN, Renato Fernandes, disse ainda que o primeiro voo da Colt Aviation está previsto para operar dentro de seis meses nos 20 aeroportos nordestinos. “De acordo com a demanda eles serão aumentados”, acrescentou o secretário.

O investimento na malha viária nordestina partiu do empreendedorismo do empresário e piloto de avião Alexandre Eckmann, acionista e presidente da Colt Aviation, e de seus sócio, Alex Meyerfreund, da família fundadora da Chocolates Garoto.

Mesmo diante da queda de 2,29% no transporte aéreo de passageiros neste primeiro bimestre, com relação ao mesmo período de 2012 (dados da Agência Nacional de Aviação Civil), a dupla aprovou o pacote de incentivos dos estados nordestinos e da presidente Dilma Rousseff para a aviação regional.

 

Fonte: http://carnaubaemfoco.blogspot.com.br/2013/04/das-maiores-operadoras-de-taxi-aereo.html

Link to comment
Share on other sites

Então pessoal, tive recentemente contato direto com pessoas da Colt Aviation e foi confirmado esta nova operação da empresa mesmo. Eles inclusive já estão construindo/reformando um hangar no TECA do GIG (palavras de gente importante lá de dentro).

Quanto as aeronaves ainda não consegui muitos detalhes apenas que serão da Boeing.

Link to comment
Share on other sites

 

Adquiriu mesmo. Agora eles estão trabalhando na integração. Planejam iniciar a operação com a marca Fedex por aqui a partir do ano que vem, a princípio somente com o rodoviário herdado do Rapidão, mas não descartam o modal aéreo.

 

mas a Rapidão tem toda a estrutura de modal aéreo, só não tinha as naves... agora que é tudo FedEx, a ideia é prosseguir com o plano de integração. Se vai agilizar a chegada de avião só pra operação doméstico (e se nós vamos ver 757/ATR/Caravan com matrícula brasileira), é aguardar os próximos capítulos.

 

 

Essa quero ver. 3 B734F.

 

Tenso!!

 

pq? 734 tem a "tonelagem" menor, mas também custa menos que o 727, não? E a Log antes de parar teve um par...

Link to comment
Share on other sites

Pessoal não posso citar nomes ou mais detalhes por enquanto, mas a notícia é veridica mesmo.

 

Prezados,

 

Thrust Set fala a verdade...

 

Abcs,

 

Sydy

Link to comment
Share on other sites

"Em abril a companhia receberá três modelos 737- 400, da americana Boeing, versão cargueiro. Cada aeronave tem capacidade para 21,8 toneladas de carga. O plano é operar três voos por dia de São Paulo (Cumbica) e do Rio (Galeão) para capitais das regiões Centro-Oeste, Nordeste e Norte.

 

Até o fim deste ano, a Colt receberá mais dois aviões, totalizando cinco aeronaves na frota. "Hoje você tem uma rentabilidade por hora voada média 30% maior em carga do que para passageiro. E o custo para operar passageiro é 30% maior do que carga", afirmou Eckmann."

 

Trechos retirado da notícia publicada pelo nosso colega na primeira página!!! :blink:

Link to comment
Share on other sites

E com essa notícia de que pretendem operar em 20 cidades do Nordeste, alguma informação sobre possível frota?

 

Para essas 30 cidades com crteza será o EMB120 ou o AT43

Link to comment
Share on other sites

As matrículas abaixo estão reservadas no site da ANAC em nome do Sr. ALEXANDRE JOSEPH ECKMANN:

 

PR-IOX cn 26529

PR-IOY cn 26526

PR-IOZ cn 26530

 

São 3 B737-400

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade